Novo projeto no Amapá promove acesso a educação de mulheres negras e quilombolas

  February 7, 2020

Educação, Gênero e Identidades Negras será tema do primeiro curso

O Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) apresentou em janeiro, na capital amapaense, sua nova atuação no território, o projeto Mulheres Negras e Quilombolas pelo Direito à Educação.

Participaram do encontro cerca de 20 pessoas, integrantes do movimento negro, moradoras (es) de comunidades quilombolas, representantes de órgãos públicos e profissionais da área de educação.

Apoiado pelo Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda 2030 (GTSCA2030), financiado pela União Europeia, o projeto busca colaborar com a construção de uma agenda que favoreça o acesso à educação escolar de qualidade social e técnica para as mulheres negras e quilombolas em quatro municípios no Amapá. A abordagem é focada em dois Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU: Educação e Igualdade de Gênero.

O GTSCA2030 é uma coalizão formada por mais de 40 organizações não governamentais, movimentos sociais, fóruns e fundações brasileiras que atuam no seguimento da implementação e monitoramento da Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, preconizados pela Organização das Nações Unidas (ONU).

 Curso e edital

A reunião foi coordenada por Daltro Paiva (IEB) e buscou identificar sinergias e parcerias para o desenvolvimento da iniciativa. Um dos assuntos em destaque foi o edital de chamada pública para o curso Educação, Gênero e Identidades Negras. O grupo forneceu sugestões ao documento de modo a atender a realidade das comunidades beneficiárias do projeto. 

Para os que desejam participar do curso, inscreva-se até o dia 24 de fevereiro de 2020.