Nota de Pesar – Paulinho Paiakan

  June 17, 2020

Foto: Renato Soares/Imagens do Brasil

Perdemos nesta quarta-feira (17/06), vítima da Covid-19, o líder kaiapó Bep’kororoti, conhecido como Paulinho Paiakan. Bep’kororoti foi uma das vozes mais importantes do movimento indígena brasileiro no período da redemocratização, especialmente no processo de elaboração dos termos expressos na Constituição de 1988, que garantem aos povos originários o direito aos seus territórios e à sua autodeterminação.

Reconhecido internacionalmente como grande defensor da floresta e seus povos, Paiakan era uma fonte de inspiração na luta para todos nós.

“Perdemos um símbolo de uma era! Incansável defensor da Amazônia e de seus povos, Bep’kororoti lutou para que as vozes da floresta fossem ouvidas e respeitadas. Em sua passagem por este mundo, deixou uma mensagem de luta e de resistência tenaz para todos nós, que compartilhamos os mesmos sonhos e utopias”, declara Ney Maciel, Analista Socioambiental e antropólogo do IEB.

Ao lado de Mario Juruna, Tuíra Kayapó, Ailton Krenak, Álvaro Tukano e Raoni Metuktire, Paiakan atuou como árduo defensor da demarcação das terras indígenas como forma de proteger os povos das pressões e dos impactos causados sobretudo pela expansão das fronteiras econômicas na Amazônia.

“Mais uma vida levada pela Covid-19! Para os povos indígenas, em especial os Kayapó, mais uma enciclopédia de conhecimento tradicional que se vai! Para nós, do movimento indígena, mais um companheiro de luta e liderança de referência que nos deixa!”, diz a nota da Coordenação das Organizações indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB).

Paulinho lutava há 10 dias contra a doença e faleceu no hospital regional de Redenção, no sul do Pará.

“Paiakan se foi como as centenas de vidas indígenas que estamos perdendo para pandemia da Covid-19. É com tristeza e revolta que acompanhamos a perda de tantas vidas. Nossos anciões são sagrados e fonte de sabedoria dos povos indígenas”, declarou também em nota, a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB).

O IEB se solidariza com toda a família de Paulinho Paiakan, sua esposa Irekran e com o povo Mebengôkre neste momento de perda. Sua atuação deixa na história e na vida dos povos indígenas brasileiros um legado incomensurável de sabedoria e resistência.