Egressos da 1ª turma da Escola de Sustentabilidade participam de oficina para elaboração de planos de ação

  June 26, 2019

O Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) realizou, nesta segunda-feira (24), a segunda oficina para elaboração de planos de ação junto aos egressos da primeira turma da Escola de Sustentabilidade de Juruti (ESJ), a atividade faz parte do projeto “Escola de Sustentabilidade de Juruti: Saber é Poder!”, apoiado pelo Instituto Juruti Sustentável e Instituto Alcoa.

A primeira turma envolveu lideranças locais das zonas urbana e rural do município de Juruti e baseou-se nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). O curso teve sua metodologia pautada na pedagogia da alternância, que mescla trabalho em sala de aula (círculos formativos) e trabalho de campo (tempo comunidade).

A riqueza do trabalho desenvolvido pelas lideranças, tanto nos círculos formativos quanto no tempo comunidade, com a produção de dados qualitativos sobre a realidade local, mobilizou o coletivo para prosseguir as reflexões, mesmo após o final da formação.  Por conta disso, o IEB se dispôs a contribuir com o coletivo de forma a potencializar os resultados da turma, a partir da elaboração de planos de ação. Estes planos refletem o esforço das lideranças de propor soluções para problemáticas vivenciadas em suas comunidades.

A primeira oficina ocorreu no dia 29 de maio e seu objetivo foi instrumentalizar o grupo, compartilhando passos metodológicos para a construção dos planos de ação. No intervalo até a realização desta segunda Oficina, as lideranças discutiram com suas comunidades ou instituições a priorização de situações problemas, constituídas em objeto central na elaboração dos planos de ação.

Na segunda oficina os egressos apresentaram seus trabalhos de campo e, com a assessoria do IEB, os planos foram finalizados. Um total de nove planos de ação, individuais e coletivos, foram construídos. Seguindo temáticas que fazem referência aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), as propostas apresentadas trouxeram necessidades como: criação de hortas orgânicas comunitárias e resolução de problemas de resíduos sólidos, entre eles a coleta seletiva e descarte adequado de resíduos domésticos. Todos os planos construídos apresentam metas possíveis de se atingir a partir da organização comunitária ou do estabelecimento de parcerias público-privadas.

Segundo Alison Castilho, Coordenador de Projetos do IEB, “a elaboração dos planos de ação pode contribuir para que as demandas apresentadas pelos egressos sejam superadas de maneira organizada, pois o plano ajuda a pensar no problema e suas possíveis formas de solução”.