Seminário discutirá formação indígena para a gestão territorial e ambiental

O evento terá como resultado a produção de um documento final das discussões feitas nos três dias
Foto: acervo IEB
Foto: acervo IEB

Entre os dias 04 e 06 de maio, será realizado, no Centro Cultural Brasília - DF, o Seminário Nacional sobre Formação Indígena para a Gestão Territorial e Ambiental.

O Seminário tem por objetivo a construção de subsídios a partir dos conhecimentos e práticas indígenas sobre a temática, com vistas a orientar a formulação de políticas públicas direcionadas à formação específica dos povos indígenas, conforme os objetivos estabelecidos no eixo 7 – Capacitação, formação, intercâmbio e educação ambiental - da Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas (PNGATI).

Para tanto, o evento vai reunir indígenas e instituições de várias regiões do Brasil que conduzem ou que já conduziram experiências de formação indígena com foco na gestão ambiental e territorial, e discutir as dimensões desta formação como política pública focada na sustentabilidade das terras indígenas.

Um ponto chave que vai conduzir as discussões será a reflexão coletiva sobre o papel das diversas categorias e atores frutos desses processos de formação, tais como os agentes agroflorestais indígenas, os agentes indígenas socioambientais, os brigadistas e outros. Temas como o papel desses agentes dentro e fora das suas terras, os tipos de modalidades de formação e a forma como essas metodologias respeitam a diversidade socioambiental de cada povo serão debatidos, assim como a questão do reconhecimento profissional dos indígenas que atuam nessas modalidades de gestão ambiental e territorial em suas terras.

Durante os três dias de evento, diversas iniciativas em curso serão apresentadas, e serão realizados trabalhos em grupo e exposições em plenária que subsidiarão a elaboração do documento final. Durante as noites, haverá uma mostra de vídeos relacionados ao tema.

O Seminário é uma realização do Projeto GATI (Gestão Ambiental e Territorial Indígena), da Fundação Nacional do Índio (Funai), do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), do Fundo Mundial para o Meio Ambiente (GEF) e do Instituto Internacional de Educação do Brasil (IIEB). O evento também conta com apoio do Centro de Trabalho Indigenista (CTI), da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) e do Instituto de Pesquisa e Formação Indígena (Iepé).

Acesse aqui a programação completa.

Texto: Andreza Andrade







Comentários