Rio Branco recebe curso de geoprocessamento avançado em software livre e banco de dados espacial

Com duração de 5 dias, o curso abordou as principais técnicas de geoprocessamento para análise ambiental. O evento foi financiado pela Cooperação Técnica Alemã (GIZ)

De 11 a 15 de junho o IEB facilitou o Curso de Geoprocessamento Avançado em Software Livre e Banco de Dados Espacial, em Rio Branco-AC, para equipes envolvidas com Regularização Ambiental e com o Cadastro Ambiental Rural (CAR). A facilitação esteve a cargo de Pablo Galeão, do Programa de Ordenamento Territorial na Amazônia (ORDAM) do IEB, e teve financiamento da Cooperação Técnica Alemã (GIZ).

Organizado a partir de uma demanda de capacitação da Secretaria de Meio Ambiente do Acre (SEMA-AC), o curso foi focadas nos aspectos práticos do dia-a-dia dos Analistas Ambientais. Com a presença de onze representantes da Sema, a capacitação contou também com a presença de outras instituições, cujas atuações se relacionam com o CAR, como o Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac), a Secretaria de Estado de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof), o Instituto de Terras do Acre (Iteracre), o Instituto de Mudanças Climáticas e Regulação de Serviços Ambientais (IMC) e ainda a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Defesa Civil de Boca do Acre /AM (Semam).

O objetivo do curso foi capacitar os participantes em ferramentas de geoprocesamento de código aberto, como o QGis, o SagaGis e o Banco de Dados Geográficos PostgreSQL. A proficiência nestes softwares possibilitará maior capacidade técnica para realização de analises espaciais, além de diminuir a dependência de softwares de geoprocessamento proprietários, considerados muito caros para a realidade da Administração Pública da Amazônia.

Além disso, a utilização de uma base de dados adaptada para processar informações espaciais potencializa o trabalho em grupo, além de melhorar os critérios de segurança da informação, como acesso, backup e disponibilidade.







Comentários