Reunião dá início a trabalhos de Projeto SulAm em Caititu

Durante atividade foram apresentadas ações que compõe os cinco eixos temáticos do projeto para Aldeia Idecorá, em Lábrea
Foto: Evangelista Apurina
Foto: Evangelista Apurina

Nos dias 30 e 31 de março deste ano ocorreu a reunião inicial do projeto SulAm Indígena: implementando PGTAs em terras indígenas no Sul do Amazonas na Terra Indígena Caititu, Aldeia Idecorá, em Lábrea/AM.

A atividade, promovida pelo IEB (Instituto Internacional de Educação do Brasil), contou com a participação da Federação das Organizações e Comunidades Indígenas do Médio Purus (FOCIMP), CR Médio Purus/FUNAI, OPAN, CIMI e representantes de 22 aldeias.

Durante a atividade foram apresentadas as ações que compõe os cinco eixos temáticos do projeto: Proteção Territorial, Gestão Ambiental, Atividades Produtivas, e monitoramento do avanço do desmatamento, que serão realizadas ao longo dos próximos três anos, mobilizando as comunidades, lideranças e representantes indígenas.

No caso da TI Caititu, a expectativa é implementar parte das ações que foram sistematizadas no Plano de Gestão Territorial e Ambiental da TI Caititu executado pela FOCIMP, cuja elaboração se deu a partir de um processo de pesquisa, discussão, tomada de decisões e proposição de acordos e estratégias junto aos comunitário e lideranças, que visam  a qualidade de vida do povo Apurinã.

O IEB, em parceria com associações indígenas do Médio Purus (FOCIMP, OPIAJ e OPIAJBAM), e associações indígenas do Médio Madeira (APITIPRE, APIJ e OPIAM), conta com o apoio do Fundo Amazônia para executar ações de implementação de PGTAs não só na TI Catitu, como também nas TIs: Apurinã km-124, Boca do Acre, Água Preta/Inari, Diahui, Nove de Janeiro e Ipixuna, e realizará ainda a elaboração do PGTA da TI Tenharim do Igarapé Preto.







Comentários