Projeto Nossa Terra: Associações do Sul do Amazonas realizam intercâmbio com Associação Wyty-Catë

OPIAJ, OPIAJBAM, FOCIMP, OPIPAM, APITEM e APITIPRE realizaram mais uma atividade do Projeto Nossa Terra: um intercâmbio junto à Associação Wyty-Catë das Comunidades Timbira do Maranhão e do Tocantins

De 04 a 08 de dezembro, as associações indígenas OPIAJ, OPIAJBAM, FOCIMP, OPIPAM, APITEM e APITIPRE realizaram mais uma atividade do Projeto Nossa Terra: um intercâmbio junto à Associação Wyty-Catë das Comunidades Timbira do Maranhão e do Tocantins. O Projeto Nossa Terra é executado pelo IEB e pela OPAN, com o apoio da USAID, e parceria da Funai e do ICMBio.

O objetivo da viagem foi promover o diálogo e a troca de experiências entre as associações participantes, buscando o fortalecimento de suas capacidades de gestão e atuação política, além da troca cultural entre os diferentes povos indígenas envolvidos.

Participaram do intercâmbio 11 coordenadores indígenas das associações do Sul do Amazonas envolvendo os povos Apurinã, Jamamadi, Parintintin e Tenharin, dois coordenadores da Wyty-Catë dos povos Gavião e Krikati, além de uma equipe de apoio envolvendo técnicos do IEB, do Centro de Trabalho Indigenista (CTI) e a Coordenação Técnica Local da Funai em Carolina/MA. 

A atividade teve início com uma reunião dos representantes do Sul do Amazonas com a coordenação da Wyty-Catë, no Centro de Formação Pënxwy Hëmpxá, localizado no município de Carolina/MA. Na oportunidade, foi realizada a apresentação das associações pelos seus representantes e das associações apoiadoras. Também foram apresentados o Projeto Nossa Terra, os objetivos do intercâmbio e a proposta mais detalhada da programação da atividade.

A Wyty-Catë apresentou seu histórico de criação, sua relação com as associações e comunidades de base e sua estrutura de funcionamento. Também foram discutidos temas de grande relevância para os povos do Sul do Amazonas, como a experiência de um centro de formação, a formação de agentes ambientais indígenas, além da relação dos povos Timbira com a UHE Estreito, que impacta quatro dos seis povos Timbira representados pela Wyty-Catë. No final do dia os participantes foram até a cidade de Carolina a fim de conhecer a sede da Associação Wyty-Catë.

No dia seguinte, o grupo se deslocou para a Aldeia Rio Vermelho, na TI Kraholândia, localizada no município de Goiatins/TO onde foi recebido nos costumes do povo Krahô. Foi realizada uma reunião com as lideranças da aldeia e representantes da associação local (Wokrã). Os indígenas do Sul do Amazonas se apresentaram e contaram um pouco sobre suas associações, as principais questões que têm enfrentado e o objetivo do intercâmbio. As lideranças Krahô apresentaram um pouco de seus costumes e falaram sobre a relação com a Wyty-Catë e projetos da aldeia apoiados por meio do PBA Timbira.

Houve também uma corrida de tora, como demonstração dos hábitos e costumes tradicionais dos Krahô. À noite, a recepção tradicional Krahô continuou com cantoria e dança no pátio.

A reunião teve continuidade no dia seguinte. Foi uma oportunidade importante para que fossem colocadas e discutidas algumas dúvidas sobre o funcionamento do PBA Timbira mas, principalmente, sobre a importância de união entre os povos indígenas para enfrentar o ataque sistemático aos seus direitos.

Encerrada a reunião, os representantes do Sul do Amazonas e assessores deixaram a aldeia para iniciar o retorno para suas casas. 

Clique aqui e acesse o álbum de fotos do intercâmbio: https://goo.gl/5NAtbN







Comentários