Programa Sul do Amazonas promove intercâmbio de castanha em Rondônia

IEB e Pacto das Águas atuam na Terra Indígena Rio Branco em Rondônia

O IEB (Instituto Internacional de Educação do Brasil) realizou em fevereiro intercâmbio da cadeia de valor da castanha nos municípios de Boca do Acre, Lábrea e Manicoré, no sul do estado do Amazonas. O objetivo é conhecer a iniciativa Pacto das Águas, em uma de suas áreas de atuação, na Terra Indígena Rio Branco, município de Ji-Paraná /RO.

O Pacto das Águas é uma entidade sem fins lucrativos que tem como proposta garantir alternativas de geração de renda às comunidades da Amazônia apoiando a estruturação das cadeias de produtos da sociobiodiversidade já utilizados pelas comunidades, assim como de outros potenciais existentes em suas terras.

A equipe do sul do Amazonas espera vislumbrar formas e exemplos de como essas melhorias poderiam ocorrer em seus municípios. A modelo predominante da cadeia produtiva da castanha na região ainda é fundamentado no patronato, fato que ocorre desde a época das correrias da seringa, ao começo do século XX. Neste modelo, o extrativista tem direito a uma margem de lucro, além de frequentemente possuir dívidas que se acumulam ou ser obrigado a adquirir empréstimos e produtos muito acima dos valores considerados justos.

O sul do estado do Amazonas é, hoje, um dos locais mais ameaçados pela retomada do crescimento do desmatamento no bioma amazônico. Os crimes ambientais na região chegam acompanhados de diversos tipos de injustiças sociais, além da substituição gradual e contínua das atividades extrativistas da floresta em pé, em detrimento da comercialização do gado de corte e de madeira ilegal. O trabalho do IEB, por meio do programa Sul do Amazonas, objetiva continuar investindo na produção das cadeias de valor para o desenvolvimento sustentável e responsável de toda aquela região.

 







Comentários