Oficina de planejamento inicia projeto com organização de catadores (as)

Dois diagnósticos ajudarão a debater o tema dos resíduos sólidos

No último sábado (19/03), na sede do Propaz, bairro da Terra Firme em Belém (PA), o IEB se reuniu com membros da diretoria da Cooperativa de Catadores (as) de Materiais Recicláveis (Concaves) para apresentar as etapas do projeto que será desenvolvido junto à entidade, buscando fortalece-la no âmbito organizacional e institucional.

O encontro definiu que as primeiras ações do projeto serão destinadas à realização de dois estudos. O primeiro mapeará a atuação de organizações de catadores (as) na região metropolitana de Belém. “Será uma diagnóstico para identificar e entender processos realizados por aqueles sujeitos que trabalham com resíduos sólidos na capital”, explica Edane Aciolli, coordenadora de projetos do IEB. No mesmo período outro estudo será realizado com a Concaves para levantar seus principais desafios internos em termos de gestão e dinâmicas de trabalho.

Os dados levantados nesses dois estudos direcionarão as próximas etapas do projeto que serão voltadas à assessoria da Concaves e sua articulação interinstitucional. “Nossa intensão é tratar o tema dos resíduos sólidos de forma ampla. Há espaço para debatermos a política federal do setor, mas também os modelos de contratos celebrados entre cooperativas e associações com gestores públicos”, ressalta Edane.

Conflitos
O tema dos resíduos sólidos reflete a experiência de outros cenários onde se nota uma série de conflitos provocados por modelos de desenvolvimento pouco sustentáveis e economicamente injustos. “Nos centros urbanos grandes empresas usam o lixo como uma oportunidade de ampliação de seus lucros e consideram os catadores (as) como um elo descartável na cadeia econômica. Isso tem gerado situações extremamente tensas”, explica Daltro Paiva, coordenador de projetos do IEB.

“A atuação do IEB nesse projeto se dará em um espaço social e político viável para materializar nossos valores, nossa visão de mundo, de ser humano e a relação com o meio ambiente. Nosso trabalho de fortalecimento [Institucional e organizacional] busca construir relações mais justas dos catadores (as) frente a outros atores econômicos”, afirma Maura Moraes, coordenadora técnica do Instituto.

Contribuições
Atualmente a Concaves possui um pouco mais de 40 cooperados e realiza a coleta seletiva no bairro de Nazaré por meio de um convênio com a prefeitura de Belém. Por mês são coletadas cerca de 40 toneladas de materiais recicláveis. “Pelo que entendemos uma das contribuições do projeto é mostrar a importância e o papel dos catadores (as) para as entidades. Ele será relevante também para dar aos cooperados (as) uma visão ampla do trabalho e de como podem nos apoiar” comenta o presidente da Concaves, Jonas Silva, ao citar processos que vão para além da coleta seletiva, como, por exemplo, a gestão de contratos com órgãos públicas.

A diretora financeira da cooperativa, Débora Baia, espera que o projeto ajude a superar um obstáculo constante na vida das organizações: o individualismo. “Nosso desafio é que todos se livrem do interesse individual e pensem no bem coletivo de toda a categoria [catadores e catadoras]. Espero que o trabalho do IEB possa abrir os olhos de algumas lideranças para enxergar que sozinhas [ou pensando somente na sua entidade] não irão avançar. Somente com um pensamento coletivo acredito que seremos fortalecidos”, finaliza.

Realização e acompanhamento
O projeto de “Fortalecimento organizacional e institucional de organização de catadores e catadoras de materiais recicláveis em Belém” é uma realização do IEB mediante convênio com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma). Ele integra o Programa de Coleta Seletiva da prefeitura de Belém, iniciado em setembro de 2014. O projeto será acompanhado por um grupo de trabalho formado por representantes da Semma, da Secretaria Municipal de Saneamento e do Ministério Público Estadual (MPE-PA).

Texto e fotos: Ascom IEB/ Lucas Filho

Acompanhe as próximas atividades desse projeto acessando o blog da governança socioambiental. 







Comentários