Livro sobre o Cerrado conquista público de todas as idades

Escrita por bióloga brasiliense, obra estimula conscientização socioambiental e preenche lacunas deixadas por materiais paradidáticos
As crianças presentes no lançamento participaram da oficina de mosaicos. Foto: Letícia Freire/IEB
As crianças presentes no lançamento participaram da oficina de mosaicos. Foto: Letícia Freire/IEB

Com a proposta de estimular a reflexão de crianças e adolescentes sobre a desvalorização do segundo maior bioma brasileiro, o livro Cerrado: bioma torto?, de Nurit Bensusan, reuniu público de todas as idades nesse sábado (10/12), durante lançamento, em Brasília (DF). O título é impresso pela editora especializada Mil Folhas e Três Joaninhas (ligada ao Instituto de Educação Ambiental do Brasil-IEB) e é o segundo de uma série de títulos com temáticas ambientais, que teve início no ano passado, com o livro da mesma autora, Dividir para quê? – Biomas do Brasil. Bióloga brasiliense foi finalista do Prêmio Jabuti e foi homenageada recentemente com Ziraldo na 8ª edição da Festa Literária de Pirenópolis.

Para Nurit Bensusan, o sucesso do lançamento de sua oitava obra infantil confirma o interesse do público por produtos de temáticas ambientais. Segundo ela, isto significa cumprir com a missão de oferecer um material atraente, com conteúdo de qualidade e que atenda à demanda do mercado. Mestre em Ecologia e Doutora em Educação, a autora afirma que Cerrado: bioma torto? também preenche lacunas deixadas por materiais paradidáticos. Nas 32 páginas do livro são apresentadas “as várias caras do Cerrado” por meio de curiosidades e referências socioculturais esmiuçadas em uma linguagem simples e bem humorada, com ilustrações divertidas assinadas pelo escritório de design Grande Circular. Aproximadamente 300 pessoas compareceram ao evento, dentre crianças e adultos.

"A partir desse evento podemos perceber que há uma grande aceitação desse tema e a minha expectativa é que o livro seja de fato usado não só para leituras daqueles que queiram saber mais sobre o Cerrado, mas que este seja adotado nas escolas, nas atividades ligadas aos conteúdos de ciências, biologia, geografia, história, sem falar da proposta de corrigir informações erradas tanto sobre os biomas em geral quanto sobre o Cerrado", afirma a escritora, que ocupa atualmente o cargo de coordenadora-adjunta do Programa de Política e Direito Socioambiental do Instituto Socioambiental (ISA).

Acompanhada da filha Janaína, de 7 anos, a agrônoma Daniela de Paula prestigiou o lançamento da obra e falou da admiração pelo trabalho de popularização da Ciência feito por Nurit Bensusan. Autora de mais de 15 títulos técnicos sobre Ciência e meio ambiente, a bióloga e também engenheira florestal passou a investir no público infantil em 2010, quando resolveu se dedicar à criação de jogos e livros infantis com temáticas ambientais. Em 2013, seu livro Labirintos: parques nacionais (Ed. Peirópolis) ganhou o prêmio Malba Tahan, da Fundação Nacional do Livro Infanto-Juvenil, e foi finalista do Prêmio Jabuti.

"Ela aborda temas científicos e ambientais de uma maneira leve, tornando a leitura agradável. Além disso, o projeto gráfico é primoroso", aprova Daniela, que recomenda a leitura para públicos de todas as idades.

Bioma azarado 

Retratado pela pesquisadora como “um bioma azarado”, o Cerrado, apesar de ser a origem das bacias hidrográficas do Prata, São Francisco e Tocantins-Araguaia, e possuir mais de 4 mil plantas exclusivas, não recebe, segundo Nurit Bensusan, a atenção devida da sociedade. Na obra, a escritora questiona a percepção de como enxergamos o Cerrado, o que impacta sua conservação nos estados da região Centro-Oeste (Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal), além do sul do Pará e Maranhão, interior do Tocantins, oeste da Bahia e Minas Gerais, e o norte de São Paulo.

Em Cerrado: bioma torto?, ela também revela os primeiros habitantes do bioma, os tipos de vegetação, bichos e plantas peculiares do bioma, além da influência deste no dia a dia dos brasileiros. Nurit Bensusan destaca ainda a importância desse tipo de savana para a regulação do clima e a manutenção de espécies diversas. E faz um alerta: as taxas de desmatamentos do Cerrado são maiores que as da Amazônia. 

“A proteção do Cerrado, em áreas de conservação, é outra medida que mostra a pouca importância que esse bioma tem. Somente 8,3% dele estão dentro de unidades de conservação. Esse total não é suficiente para manter a biodiversidade do Cerrado, principalmente porque, fora desses espaços protegidos, a destruição total tem sido a regra”, aborda a autora.

Serviço:

O título pode ser adquirido nas principais livrarias do país e nos seguintes locais:

Ernesto Cafés Especiais

(61) 3345-4182

Quadra CLS 115 Bloco C, loja 14 - Asa Sul / Brasília (DF)

CEP: 70385-530

Editora Mil Folhas

(61) 3248-7449

iieb@iieb.org.br

http://livraria.iieb.org.br/

SCLN 210, Bloco C, salas 209/214 - Asa Norte / Brasília (DF)

CEP. 70862-530

Valor: R$ 40,00







Comentários