Lideranças de Conselhos indígenas e extrativistas dialogam sobre gestão de territórios

Evento teve como objetivo estreitar o diálogo e o compartilhamento de experiências que tratam da gestão territorial e ambiental de áreas protegidas na região sul do Amazonas
Em um contexto de luta pela integridade de territórios fortemente ameaçados, o Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) realizou em parceria com FUNAI, ICMBIO e organizações  indígenas e extrativistas o Encontro de Conselheiros das Unidades de Conservação (UCs) do Sul do Amazonas.  O evento que tem apoio da Fundação Gordon e Betty Moore também contou com a participação de representantes indígenas dos Comitês Regionais de 3 Coordenações da Funai.

O Encontro que aconteceu de 18 a 20 de outubro, em Lábrea (AM), teve como objetivo  estreitar o diálogo e o compartilhamento de experiências sobre participação em instâncias de governança que tratam da gestão territorial e ambiental de áreas protegidas na região sul do Amazonas. Prestes a completar 20 anos de atuação, o IEB propõe-se a incentivar o diálogo sobre temas ambientais relevantes local e nacionalmente, tal como a participação social e gestão territorial. Para isso, busca proporcionar atividades de reflexão e intercâmbio de experiências, assim como fortalecer a participação e empoderamento de lideranças em instancias de decisão.

Luciene Pohl assessora do Programa de Ordenamento Territorial (ORDAM) do IEB destacou que ‘’conseguir reunir tantas lideranças para uma reflexão deste porte, em um momento em que encontramos tantos espaços participativos esvaziados ou fragilizados, tal como tem demonstrado a nossa atual democracia, é uma conquista. É urgente realizar encontros que ajudem a fortalecer essas instâncias de forma participativa, onde indígenas e extrativistas podem retomar espaços e ter mais poder de decisão sobre a gestão de seus territórios’’.

A atividade faz parte das ações do Plano de Gestão Integrada do Sul do Amazonas, que busca fortalecer tais instâncias democráticas de participação e governança. O plano foi construído coletivamente por gestores públicos, lideranças indígenas e extrativistas que também participaram do evento.

O gestor do ICMBio na Reserva Extrativista do Medio Purus, Jose Maria Ferreira, comemorou as conquistas atuais de gestão desses locais. ‘’Antes, cada grupo defendia seus territórios de modo individual. Hoje, a partir do apoio do IEB, que proporciona essa mediação, chegamos em um momento dessa perspectiva se tornar, de forma democrática, um espaço em que há respeito e que se dialogam, de modo coletivo, estratégias de gestão’’.

Segundo Jose Maria, o encontro é um espaço político onde discute-se estratégias para um processo que consolida as áreas protegidas da região. Para isso, ele enfatiza a importância da continuidade desse trabalho e a necessidade de ‘’somar e unificar esforços com as lideranças em defesa desse território, com uma estratégia política de gerenciamento dessas regiões’’.

Durante os três dias do Encontro, a programação incluiu o balanço da gestão participativa das UCs, discussão acerca dos papeis e resultados das ações realizadas pelos conselhos deliberativos e consultivos de seis  UCs, importância dos comitês regionais da Funai, trabalhos em grupo e discussão sobre os avanços e dificuldades no funcionamento de tais instâncias de governança.

Para Francisco Ferreira Apurinã, liderança indígena do município de Pauini, ’a unificação entre indígenas e extrativistas, dialogando um interesse comum e coletivo é essencial. “O evento proporciona a troca de experiências na dimensão da defesa dos territórios, objetivando garantir um futuro melhor para as próximas gerações’’.






Comentários