Indígenas participam de Oficina sobre Licenciamento Ambiental e Grandes Empreendimentos

Evento tem como objetivo formação, governança e participação do povo nos processos de licenciamento ambiental, fortalecendo o controle social dos indígenas

Com grande participação do Povo Indígena Parintintin, acontece na Aldeia Traíra, Terra Indígena 09 de janeiro, até esta quinta-feira (19), a Oficina sobre Licenciamento Ambiental e Grandes Empreendimentos.

O evento tem como objetivo formação, governança e participação do povo nos processos de licenciamento ambiental, fortalecendo o controle social dos indígenas. Estão reunidos indígenas da Ti nove de janeiro e da ti Ipixuna, que engloba as aldeias Traíra, Pupunha e Canavial

As atividades fazem parte das ações do projeto executado pela Organização do Povo Indígena Parintintin do Amazonas (OPIPAM), dentro o projeto Nossa Terra, em parceria com o Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB, Operação Amazônia Nativa (OPAN), com apoio da USAID. Conta também com a presença de agentes ambientais.

"Queremos discutir e aprender os processos de licenciamento. É um momento oportuno de conhecimento para quem não o tem. Estamos nos preparando pois já enfrentamos um processo de pavimentação da BR-319 na Terra 09 de Janeiro. É a partir daí que faremos o estudo do componente indígena de acordo a legislação", contou Raimundo Parintintin, coordenador geral da (OPIPAM).

Além do caso específico na rodovia que liga Manaus-AM e Porto Velho-RO, há a intenção de aumentar a participação dessas pessoas em processos de seu interesse. Tal conhecimento faz com que os indígenas tenham maior conhecimento sobre a participação nas etapas do licenciamento e a atuação dos órgãos responsáveis.

"As pessoas precisam do conhecimento dessa questão de licenciamento ambiental. É um momento oportuno para envolver esses povos com a legislação e os processos que devem ser acompanhados", explicou Carlos Souza, técnico de campo do IEB.

Ainda antes do fim das atividades, a grande presença dos Parintintin deixa a organização confiante de que o encontro já cumpriu o seu papel.

"Reunimos 60 lideranças entre professores, agentes de saúde, caciques, entre outros nestes três dias de processo de aprendizado. Todos buscando informações qualificadas para enfrentar esses empreendimentos que afetam nossos povos diretamente", completou Raimundo.







Comentários