IEB comparece à 7ª Assembléia Geral Ordinária Opiaj

Mesas de discussão debateram questões do movimento indígena e avaliaram ações recentes da organização
Foto: Equipe IEB
Foto: Equipe IEB

Ocorreu, nesta semana, a 7ª Assembléia Geral Ordinária da Organização dos Povos Indígenas Apurinã e Jamamadi (Opiaj). O Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) esteve presente no evento que aconteceu no município de Pauini (AM) nos dias de 08 a 11 de maio.

Assembleia avaliou as ações desenvolvidas pela atual Coordenação Executiva da Opiaj nos anos de 2014 a 2017 e teve como objetivo geral, apresentar às 37 aldeias membro as principais temáticas que envolvem os povos indígenas e fundamentam o trabalho da Opiaj, que circula no âmbito da promoção e proteção dos direitos indígenas. 

Entre os assuntos discutidos estavam o Acampamento Terra Livre, as recentes ações do Governo que interferem em questões indígenas no Brasil, gestão territorial, fortalecimento do movimento e da Opiaj, economia indígena sustentável e o fortalecimento do Fundo Local da Opiaj para que permita a auto-sustentação do movimento.  

O coordenador da Opiaj, Wallace Apurinã, afirmou que o evento apresentou um resultado positivo. “Tivemos discussões muito ricas que saíram desde o chão da aldeia até debates que foram propostos por grandes organizações indígenas. Foi uma oportunidade para debatermos uma estratégia de enfrentamento para o momento político que estamos passando”.

Uma mesa de destaque denominada “Velha Guarda”, contou com a presença de caciques antigos do povo Apurinã que fizeram história nas lutas pela conquista dos direitos à demarcação das terras indígenas, implantação e implementação do subsistema de saúde, educação diferenciada e outras mobilizações a favor dos interesses indígenas. A mesa foi um chamado da velha guarda às novas lideranças.  

A técnica do IEB, Chris Lopes, esteve na assembleia e ressaltou a importância do trabalho da Opiaj. “Além de promover o diálogo entre líderes antigos e novos e promover o movimento, a Organização se preocupa muito ativamente em qualificar as novas lideranças, exemplo disso é ter criado no seu interior a Gerência de Estudantes Indígenas como um dos seus braços nas discussões sobre os direitos indígena". 

O evento foi também momento de construção de diálogo com a gestão pública local, recém eleita, e o ponto principal destacado foi a entrega da proposta de Plano de Trabalho para a Prefeitura de Pauini propondo ações nos temas de educação, direitos sociais, gestão territorial e cultura, por exemplo.

Estiveram presente no evento a Federação das Organizações e Comunidades Indígenas do Médio Purus (Focimp); a Organização dos Povos Indígenas Apurinã e Jamamadi de Boca do Acre (Opiajbam); a Organização Situakuri de Lábrea; as Coordenações Regionais da Focimp em Beruri, Boca do Acre, Tapauá, Lábrea e Pauini; a Coordenaçao Técnica Local em Pauini da Fundação Nacional do Índio; Operação Amazônia Nativa (Opan); o Instituto de Desenvolvimento Sustentável do Estado do Amazonas; o Prefeito em Exercício de Pauini junto com as Secretarias Municipais de Saúde, Educação, Cultura e Meio Ambiente e a Câmara dos Vereadores, entre outras organizações.

 







Comentários