IEB apoia entidades que repudiam fala do novo ministro da Justiça

O IEB (Instituto Internacional de Educação do Brasil) presta apoio ao posicionamento de entidades representativas que repudiaram as declarações do novo ministro da Justiça, Osmar Serraglio, relativas aos povos indígenas feitas nesta sexta-feira (10/03).

O Cimi (Conselho Indigenista Missionário) e a Apib (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil) escreveram notas públicas contra a afirmação do ministro de que os envolvidos em conflitos no campo deveriam parar com a discussão sobre terras, que segundo ele "não enchem barriga de ninguém". Para ele, o que importa aos indígenas é ter "boas condições de vida".

Segundo o Cimi "é vergonhoso que um ministro, ao assumir, venha a público desdenhar do direito fundamental dos povos indígenas às suas terras. Ao usar a expressão “terra não enche barriga” como argumento para justificar a não demarcação das terras indígenas no país, o ministro demonstra, no mínimo, um grau elevado de ignorância, que o descredencia para a função que assumiu", diz a nota da entidade.

Já para a Apib, "para pacificar a crise no campo basta que o senhor mande desarmar as milícias e os fazendeiros do agronegócio que assassinam lideranças indígenas Brasil a fora, e cumprir a Carta Magna que há 29 anos determinou que a União demarcasse as terras indígenas em cinco anos".

Confira aqui e aqui as notas na íntegra. 







Comentários