IEB apoia entidades que prestaram solidariedade à Imperatriz Leopoldinense

ABA, ANA e Apib divulgaram nota em que defedem o samba enredo da Agremiação

O IEB (Instituto Internacional de Educação do Brasil) durante esta semana prestou seu apoio ao posicionamento de entidades representativas que repudiaram os ataques que a escola de samba Imperatriz Leopoldinense sofreu nas últimas semanas.

A Associação Brasileira de Agroecologia (ABA), a Articulação Nacional de Agroecologia (ANA) e a Apib (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil)  manifestaram seu apoio à Imperatriz pela homenagem prestada aos povos indígenas do Xingu por meio do samba-enredo do Carnaval 2017 “Xingu, o Clamor que vem da Floresta”.

Para a Apib, a letra do enredo não inventa a história, faz apenas justiça ao tornar pública a verdade de que até hoje os invasores roubam de fato as terras dos povos originários e praticam esbulho e destruição, devoram mesmo, através dos grandes empreendimentos (como Belo Monte) os bens naturais, matam as matas e secam os rios, pensando apenas nos seus lucros, por isso que não pouparam esforços para ajustar a seus interesses o Código Florestal e outros instrumentos jurídicos que visam dar legalidade a suas atrocidades contra os povos e a Natureza.Nesta quinta-feira já nos posicionamos em apoio a ANA e ABA e hoje prestamos apoio ao posicionamento da Apib.

Já a ABA e a ANA ponderaram em nota que a Imperatriz, com a sensibilidade de seus poetas, Estão dando uma lição de coragem e cidadania em tempos tão difíceis no Brasil. Tempos em que avançam rapidamente políticas e projetos que colocam em risco a sobrevivência não só dessas etnias, mas também de rios e territórios que, graças a elas, o paraíso continua fazendo ali o seu lugar.

Confira aqui e aqui a íntegra das notas.







Comentários