Focimp realiza primeira atividade do projeto Kymapury Syra Taparatawa - caminho sustentável

O grupo se preparou para a execução do projeto que terá como principal pauta a discussão do Eixo 5 da PNGATI que trata dos usos sustentáveis de recursos naturais e iniciativas produtivas indígenas

Capacitação e planejamento estratégico para elaboração de projetos foi o que o IEB (Instituto Internacional de Educação no Brasil) discutiu junto aos coordenadores executivos e regionais dos seis municípios que fazem parte da Focimp (Federação das Organizações e Comunidades indígenas no Medio Purus), no âmbito do Programa Nossa Terra.

Com base em diálogos, discussões e trabalhos em grupos, a equipe do IEB e da OPAN trabalhou no planejamento da organização o que inclui incorporar os principais desafios de atuação em uma região tão extensa e diferenciada.

Com isso, o grupo se preparou para a execução do projeto que terá como principal pauta a discussão do Eixo 5 da PNGATI que trata dos usos sustentáveis de recursos naturais e iniciativas produtivas indígenas.

Durante a atividade foi pactuado ainda que os coordenadores terão diferentes tarefas para realizar para melhor executar o projeto. Entre elas destaca-se a necessidade de dividirem tarefas, compartilharem informações e ficarem atentos a formas de realizar tomada de preços, prestação de contas e encaminhamento de relatórios técnicos e financeiros para que a FOCIMP continue sua trajetória de respeito na região do médio rio Purus.

“Essa oficina faz com que eles fiquem mais familiarizados com a linguagem dos projetos e se sintam mais seguros para executá-los em suas associações”, explica o analista sócio ambiental do IEB, Marcelo Horta. De acordo com a participante Luciete Marcelino, a oficina foi uma experiência única de aprender a elaborar os projetos. E agora ela se sente apta a executá-los em seu município.

A oficina, que foi realizada entre os dias 05 e 09 de junho, no Auditório Regional da Funai (Fundação Nacional do Índío) de Lábrea, no Amazonas, reuniu coordenadores executivos e regionais bem como conselheiros dos municípios de Boca do Acre, Pauini, Canutama, Tapauá, Beruri e Lábrea.







Comentários